“[A NÓS foi] a primeira instituição que me deu a oportunidade de a viver”

Entrevista a Bruno Calado

Fotógrafo de profissão, Bruno Calado tem na sua arte como que uma “cara-metade”. Através da Fotografia, bem como da edição de vídeo, consegue espelhar o que os seus olhos captam e o que a razão lhe transmite, conseguindo envolver o resultado do que produz num misto de sensibilidade e sentimentos positivos.

É amigo da Associação NÓS há quase 10 anos, amizade que já deu à instituição diferentes “frutos”. Tem colaborado com a elaboração de vídeos institucionais da NÓS, incluindo na conceção dos vídeos projetados nas últimas Jornadas Técnicas da NÓS. Para além de colocar ao dispor da Associação o seu profissionalismo, tem abraçado a causa desta instituição de tal forma que tem conseguindo captar, na plenitude, o ADN e o espírito da NÓS.

No final do ano 2019, a Direção da Associação distinguiu Bruno Calado como “um exemplo”, entre outros, de pessoas que exercem uma influência positiva na história de vida e na imagem da Associação. Para esta Newsletter, a NÓS decidiu entrevistar Bruno Calado e dar a conhecer um pouco mais desta relação com a Associação.

 

“O Bruno (…), sem mais, deu-me um abraço.

Foi o gesto que haveria de mudar (…) o resto dos meus dias”

 

NÓS: Como conheceu a NÓS?

Bruno Calado (BC): Conheci a Associação NÓS entre 2011, sensivelmente. Na altura, eu era editor de vídeo numa produtora de publicidade, a SYNC (entretanto extinta), e dois dos filmes de publicidade institucional que editei nesse ano foram para uma Campanha de Angariação de Fundos para o Lar Residencial ‘Nossa Casa’ da Associação.

Lembro-me da agitação emocional que as imagens causaram em todos os envolvidos na produção e de me ter sentido bastante perturbado com o que vi e, acima de tudo, com o que percecionei, uma realidade que sempre soube que existia, mas que nunca me havia tocado com tanta acutilância. A mensagem dos dois filmes institucionais era simples: se cuidar nestes 20 segundos foi difícil, imagine durante uma vida.

Algum tempo depois deste primeiro contacto (talvez um ano, dois…; não estou certo das datas…), voltámos (a produtora) a fazer um novo filme para a Associação NÓS; desta vez para a Campanha de Consignação do IRS da instituição. No cronograma do projeto estavam estabelecidas algumas horas de gravação durante uma manhã, nas instalações da NÓS no Lavradio, e lembro-me de, no caminho entre Alcântara (produtora) e o destino, ter sentido um embrulho no estômago e uma enorme tensão em paralelo com a incerteza do que iria encontrar e como poderia de forma simples, direta e não ofensiva, mostrar a realidade da doença mental (profunda, nalguns casos). A tensão teimava em não desarmar.

Quando chegámos às instalações da NÓS, fomos recebidos pela professora de Educação Especial Vera Pialgata com um enorme sorriso de boas vindas e fizemos uma breve visita pela escola. Numa das salas que visitei, enquanto percebia qual o melhor local para gravar, uma das crianças (adolescentes), o Bruno, veio direito a mim, ultrapassando toda a dificuldade que tinha na sua locomoção e, sem mais, deu-me um abraço. Foi o gesto que haveria de mudar o dia e o resto dos meus dias.

O Bruno nunca me havia visto, ouvido sequer, e do nada teve um gesto tão simples e genuíno que, muitas vezes, nós, sem qualquer complicação física ou mental, não conseguimos ter, por barreiras que nos impomos a nós próprios. Toda a tensão que até ali tinha existido, desaparecera. O abraço espontâneo do Bruno foi a luz que guiou não as poucas horas estabelecidas para a manhã de filmagens, mas todo o dia.

Deixei-me levar pelo ritmo e pela rotina de todas aquelas pessoas e fui acompanhando cada momento, cada atividade nas várias instalações da Associação, incluindo no Lar Residencial. Terminámos já de noite. E foi um dia cheio. Cheio de “despreconceito”, cheio de humildade, de humanidade, de amor. Este foi o dia em que conheci a Associação NÓS. A Sofia, o Samir, o Bruno e a Larissa.

 

NÓS: De que forma surgiu o vínculo de Amigo da Associação?

BC: Esta ligação à Associação surgiu do abraço do Bruno e do que senti no dia em que visitei a NÓS pela primeira vez. Ter percebido o imenso trabalho desenvolvido pelos profissionais e voluntários da NÓS, e o impacto positivo e de relevância social extrema que este conjunto de seres humanos gera todos os dias, fez-me sentir a necessidade de participar neste movimento de alguma forma.

 

NÓS: Quais as tarefas e as atividades em que está envolvido com a Associação?

BC: Quando possível, fotografar e gravar. Participar na divulgação do trabalho da Associação.

 

NÓS: Porquê fazer este género de Voluntariado?

BC: Eu não me considero bem um voluntário porque a minha colaboração com a Associação é pontual. Não me posso colocar no mesmo patamar de quem verdadeiramente faz voluntariado na Associação e diariamente oferece o seu tempo para sorrir, apoiar, cuidar, pintar, desenhar, passear e conversar com quem precisa. Eu limito-me a contribuir na divulgação do grandioso trabalho desenvolvido pela Associação.

 

 

“Sinto que o altruísmo e a genuinidade estão na génese deste grupo de pessoas”

 

NÓS: Porquê na NÓS?

BC: Talvez por ter sido a primeira instituição que me deu a oportunidade de a viver. Talvez por ter sentido a forma como superam as dificuldades, como cada um se entrega na forma como cuida do outro, na forma com inclui e no amor que genuinamente flui entre todos. Não é fácil. É cansativo, frustrante e muito fácil desistir; mas todos os dias há um abraço, um sorriso, um apoio que está ali para quem precisa.

Em 2019 gravei uma série de testemunhos de ex-utentes de algumas das respostas sociais da Associação e percebi que a dimensão do impacto social de uma instituição assim é de extrema importância e de uma enorme relevância para o desenvolvimento de uma sociedade aberta, inclusiva e assente no respeito. Sinto que o altruísmo e a genuinidade estão na génese deste grupo de pessoas que todos os dias acorda para o outro e isso deve ser mostrado, deve servir de inspiração para todos, como serviu para mim.

Ao Bruno, à Sofia, ao Samir, à Larissa (que me fez descobrir a Sala Snoezelen*) e, mais recentemente, à Zita, muito obrigado!

 

* sala multi-sensorial que tem como objectivo a estimulação sensorial

 

Biografia

Bruno Calado tem 43 anos e reside em Lisboa. Iniciou-se como fotógrafo no Grupo Forum (1996 a 1997), tendo também exercido funções de editor de vídeo na Duvideo (1997 a 2003). No seu percurso, prosseguiu ainda pela SYNC- Produtora de Publicidade (2003 a 2015) e, atualmente, é fotógrafo no Grupo José Avillez (desde 2016).

A atividade de fotógrafo enquanto freelancer é complementar desde 2015. Pode acompanhar o trabalho de Bruno Calado em brunocalado.com (site) e nas redes sociais.

Associação NÓS conquistou 2º lugar no ‘PRIO Softboard Heroes’

Associação NÓS conquistou 2º lugar no ‘PRIO Softboard Heroes’

Evento de surf decorreu em Santa Cruz Foi com grande satisfação que a NÓS – Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente ficou em 2º lugar do PRIO Softboard Heroes, o novo evento solidário de surf em Portugal realizado a 16 de Julho, em Santa Cruz....

Farmácias Parreira promovem recolha de donativos

Farmácias Parreira promovem recolha de donativos

Atividade inseriu-se no âmbito do 39º aniversário da NÓS Durante a última semana, o Grupo de Farmácias Parreira promoveu uma Campanha de Recolha de Donativos em prol da Associação NÓS. Esta foi uma iniciativa que constituiu uma «prenda» no âmbito do NOSso 39º...

Associação NÓS entra na onda do ‘PRIO Softboard Heroes’

Associação NÓS entra na onda do ‘PRIO Softboard Heroes’

Novo evento de surf solidário realiza-se a 16 de julho 1 novo evento solidário, 16 surfistas e 4 equipas em representação de 4 associações de solidariedade. O ‘PRIO Softboard Heroes’ vai decorrer a 16 de julho, na Praia da Física, em Santa Cruz, e a Associação NÓS vai...

Projeto ‘Renascer’ dá primeiros passos

Projeto ‘Renascer’ dá primeiros passos

Bairro das Palmeiras inserido no Programa Bairros Saudáveis No dia 2 de junho, realizou-se a primeira reunião de parceiros, após a aprovação do Projeto ‘Renascer o Bairro das Palmeiras’, no âmbito do Programa público, de natureza participativa, ‘Bairros Saudáveis’. O...